27 de jan de 2010

Cyro de Mattos lança seu décimo livro infantil

Em Roda da Infância o escritor relembra personagens e acontecimentos dos quais ele nunca esqueceu

Quem está acostumado a ver Cyro de Mattos nos noticiários como diretor-presidente da Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (FICC), ou então a vê-lo caminhando calmamente pelas ruas de Itabuna, talvez não imagine se tratar do maior escritor itabunense - depois do superstar Jorge Amado. E não é só pela qualidade dos seus textos, mas os números falam por si só: são 39 livros lançados por diversas editoras, que o renderam cerca de 50 prêmios literários em diversos lugares do Brasil e até fora do país. Isso significa que alguns desses lançamentos foram premiados mais de uma vez. Só o seu Cancioneiro do Cacau faturou 4 desses prêmios, tendo sido finalista inclusive do prestigiado Jabuti.

O autor de clássicos da literatura regional como O Menino Camelô e Vinte Poemas do Rio iniciou sua carreira de escritor no comecinho dos anos 60, enquanto os Beatles soltavam seus primeiros acordes para o mundo. Logo percebeu que seria difícil demais alcançar e ser publicado pelas editoras. "Quando um escritor manda seu original para uma editora, pode ser que tenha que aguardar 2 anos para receber uma resposta positiva ou negativa - isso quando recebe", explica o escritor, que dá a dica de como conseguiu chegar lá: "para ser publicado, principalmente pelas editoras do Sudeste, entendi que o melhor caminho seria participar e vencer concursos literários. Quando isso acontece, geralmente as editoras é que disputam aquele autor". Dito e feito, seu primeiro livro, Berro de Fogo (contos), foi lançado em 1966. Hoje o autor ostenta nas paredes da sua casa dezenas de certificados e, além da grande coleção de livros lançados, também já publicou milhares de textos em publicações diversas espalhadas pelo mundo, sem falar que seu nome consta em pelo menos 48 antologias literárias de peso.

Essa coleção de obras literárias foi enriquecida com mais um lançamento, o seu décimo título Infantil. "Roda da Infância" apresenta 17 capítulos de pura beleza lúdica, retratando histórias e personagens que o autor conheceu na sua infância. Como o "Faquir Maleiro" (título de um dos capítulos), exatamente sobre um faquir que esteve em Itabuna, atraindo a atenção de multidões durante cerca de um mês, curiosas por saberem até quando aquele homem que lidava com cobras aguentaria sem se alimentar; ou do político de Ilhéus que prometeu "dinamitar o Rio Cachoeira para que fosse possível a navegação de grandes embarcações, como no Rio Amazonas". Futebol, Natal, São João, Carnaval e a vida rural são temas que aparecem aqui e ali, ambientando a narrativa feita pelo autor.

Roda da Infância foi lançado no começo do ano pela editora mineira Dimensão, em uma tiragem inicial de 5 mil exemplares, que poderão ser adquiridos tanto pela Internet quanto nas maiores redes de livrarias. E assim segue o "menino" Cyro de Mattos, que do alto dos seus 54 de carreira como autor de livros, ainda tem na infância a sua principal fonte de inspiração. A criança que existe dentro de todos nós agradece.

Saiba mais sobre Cyro de Mattos: www.ficc.com.br